Empréstimo para empresa é bom ou ruim?

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

05/08/2020
empréstimo para empresa

Quando monta um negócio, ou mesmo quando a empresa já está em andamento, é comum o empreendedor precisar recorrer a um empréstimo para empresa. Isso acontece por diversas razões, principalmente quando o dono do empreendimento não tem a totalidade dos recursos financeiros necessários para arcar com as despesas. Mas não é só nessa situação. Há casos em que pode ser mais vantajoso deixar o dinheiro investido e recorrer a um empréstimo empresarial.

Mas será que tomar crédito empresarial é uma boa? Depende.

A grosso modo, há duas modalidades de crédito para CNPJ no mercado:

·  Crédito para capital de giro: via de regra têm taxas de juros maiores, prazos de pagamento menores e não oferece carência para começar a quitar a dívida;

·  Crédito para investimentos: normalmente têm taxas de juros menores, prazos maiores para ser pago e ainda, em alguns casos, uma carência para começar a quitar a dívida.

O segredo, para otimizar o recurso financeiro e evitar gastar além do necessário, é planejar o negócio e, assim, contratar a linha de crédito empresarial mais adequada a cada necessidade.

Quando o empreendedor planeja, sabe com antecedência que precisará de dinheiro extra e, dessa forma, consegue pesquisar as melhores opções de crédito para empresas disponíveis no mercado. Assim, não precisa recorrer de forma desesperada à primeira oferta que aparece pela frente – e que não necessariamente será a opção mais vantajosa.

Isso não quer dizer que o crédito para investimento – ainda que apresente melhores condições de forma geral – seja sempre a melhor opção. Recorrer ao crédito para capital de giro não é necessariamente ruim.

Quando o empréstimo para empresa é uma boa

Imagine que aparece uma ótima oportunidade de compra de uma determinada mercadoria que tem muita procura pelos clientes. O fornecedor está oferecendo os produtos a um preço vantajoso, mas o empreendedor não tem todo o recurso financeiro disponível para aproveitar a oferta. Nesse exemplo, recorrer ao crédito para capital de giro pode servir para alavancar as vendas e até aumentar o lucro. Mas claro que, antes de recorrer ao dinheiro de terceiros, é importante fazer as contas e ver se o crédito empresarial vai mesmo valer a pena.

Como se pode ver, o crédito para empresas pode, sim, ser bom. Pode ser usado tanto para aproveitar uma oportunidade como para ajudar a empresa a equilibrar o fluxo de caixa em um momento difícil. O que vai diferenciar se o crédito empresarial é bom ou ruim são as suas condições – juros, tamanho da parcela e prazo de pagamento – e o planejamento financeiro do empreendedor, para ter certeza de que aquele recurso cabe no caixa da empresa. Parcelas flexíveis, como as oferecidas pelo Tomático, são um diferencial. 

De outra maneira, o crédito empresarial pode ser uma porta para o começo de uma série de problemas. É preciso ter consciência na hora de decidir e, sempre, fazer muito bem as contas.