Crédito emergencial destrava finalmente

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

17/12/2020

O crédito emergencial disponibilizado durante a crise econômica de 2020, causada pelo novo coronavírus, parece que chegou às pequenas empresas que precisavam de recursos financeiros para equilibrar o fluxo de caixa.

Dados divulgados pelo Banco Central mostram que o estoque de crédito para micro, pequenas e médias empresas cresceu 28% nos 12 meses encerrados em setembro. É um crescimento que não se via há praticamente uma década. Entre as grandes empresas o aumento foi de 12,6% no mesmo período.

Para efeito de comparação, o estoque de crédito para empresas de todos os portes diminuiu 0,1% em 2019.

O avanço de crédito empresarial via antecipação de recebíveis de cartão de crédito também é uma realidade. Houve aumento de 19,8% em setembro. Já o crédito via desconto de duplicatas subiu 18,3%.

Crédito emergencial ajuda pequeno empreendedor na crise

O aumento na concessão de crédito empresarial no terceiro trimestre– de julho a setembro de 2020 – é um sinal da recuperação econômica. Os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro também confirmam essa recuperação do setor produtivo. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o PIB do país cresceu 7,7% no terceiro trimestre de 2020 na comparação com os três meses anteriores. Em relação a igual período de 2019 houve queda de 3,9%.

O comércio, por exemplo, teve avanço ainda mais expressivo: 15,9%. Outras atividades de serviços registraram expansão de 7,8%.

Outro dado, este do Sebrae em conjunto com a Fundação Getulio Vargas (FGV), mostra que em março, das 7 milhões de micro e pequenas empresas que buscaram crédito emergencial, apenas 8% o conseguiram. Em setembro essa porcentagem saltou para 31%.

Só o Pronampe, uma linha de crédito emergencial criada pelo Governo Federal, realizou mais de 470 mil operações. Foram mais de R$ 32 bilhões destinados aos pequenos negócios. O Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac), por sua vez, concedeu R$ 71 bilhões a mais de 80 mil empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões.

O Tomático também vem contribuindo com o equilíbrio financeiro das pequenas e médias empresas. Em 2020, até novembro, a plataforma de crédito digital concedeu R$ 59,9 milhões em linhas de crédito empresarial. Alguns empreendedores, como a Elen Almeida Souza, dona de um salão de beleza, usaram o crédito do Tomático para manter o fluxo de caixa na crise.

Quer saber melhor como funciona o Tomático? Acesse nosso FAQ e esclareça suas dúvida