Metodologia ágil: como aplicar em pequenas empresas

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

15/02/2021

Conheça melhor e entenda como ela funciona!

Mulher executiva trabalhando com metodologia ágil

A expressão metodologia ágil se tornou febre no mundo corporativo nos últimos anos. Mas o que é isso, afinal? A metodologia ágil é, na verdade, uma forma de obter resultados palpáveis durante a execução de algum projeto.

É uma maneira de acelerar as entregas ao longo do desenvolvimento de um plano, apresentando resultados periódicos, e não somente ao final do projeto.

Com a metodologia ágil, o processo é fracionado em entregas e metas são estabelecidas para cada etapa.

Ela se tornou comum de uns tempos para cá por conta do aumento da complexidade do mercado, que requer, cada vez mais, soluções rápidas para problemas inéditos.

Antes, quando o ritmo era outro, usava-se muito o modelo cascata, com entregas feitas apenas no final de um projeto, de uma só vez.

Os métodos ágeis surgiram, inicialmente, no setor de tecnologia, mais precisamente para desenvolvimento de softwares.

Logo outras áreas perceberam os benefícios da estratégia e decidira adotá-la. Hoje, empresas de todos os portes, inclusive pequenos negócios, utilizam a metodologia ágil.

Metodologia ágil envolve times autogerenciados

No scrum, por exemplo, que é um tipo de metodologia ágil, os projetos são divididos em pequenos ciclos chamados de sprints. Esses sprints têm um prazo e um conjunto de atividades que devem ser desenvolvidas nesse prazo.

Nessa divisão existem alguns perfis profissionais:

  • scrum master, que é uma espécie de gerente do projeto
  • product owner, que é o líder do projeto
  • team, a equipe de desenvolvimento

Para adotar o scrum em uma pequena empresa, o empreendedor pode trazer do mercado para dentro de casa profissionais capacitados nessa metodologia ágil. São pessoas que dominam a metodologia e são capazes de aplicá-la com eficiência dentro da pequena ou média empresa.

Para que uma empresa seja ágil, é importante ter algumas premissas em mente:

  • Times autogerenciados e multifuncionais
  • Informação transparente
  • Autonomia para a equipe
  • Confiança nas pessoas
  • Cultura de experimentação

Esses times com autonomia, prazos e tarefas bem definidas irão entregar resultados periodicamente e, assim, garantir o andamento ágil dos projetos.